Visão, Missão e Valores

VISÃO

Constituir-se como referência internacional de desenvolvimento econômico–produtivo e étnico-cultural para os Povos Indígenas do Brasil e do Mundo, mediante adoção de sistema de produção multisetorial, voltado para a oferta de bens e produtos, naturais e manufaturados, a serem estrategicamente comercializados, nos mais diversos mercados.

MISSÃO

Promoção do fortalecimento sócio-econômico da Comunidade Indígena Paiter Suruí, por meio do engajamento produtivo de sua comunidade e utilização responsável dos recursos naturais presentes na Terra Indígena 7 de Setembro, por forma a assegurar sustentável aproveitamento das potencialidades produtivas, em sintonia com a proteção da rica biodiversidade nesta existente, sem perder de vista as repercussões políticas, sócio - ambientais e étnico - culturais, consequentes à sua atuação e empreendedorismo.

VALORES

  • Sadia formação e desenvolvimento étnico-cultural do Povo Indígena Paiter Suruí, por meio da propagação dos princípios, preceitos e diretrizes originários, fundados por seus ancestrais, sem perder de vista o saber angariado ao longo das gerações, além da ampla e democrática participação dos seus membros, independente de qualquer critério de distinção sócio-cultural;
  • Implementação de comunicação identitária, capaz de establecer a própria Marca e suas variações, como elemento esencial de posicionamento e credibilidade mercadológica, a partir da compreensão e apropriação do real significado, por parte dos mercados consumidores;
  • Utilização de técnicas, meios, mecanismos e ferramentas de natureza científica e operacional, estrategicamente idealizadas para maximização de sustentáveis práticas produtivas;
  • Respeito e apreciação às normas e procedimentos de natureza técnica, que se constituam como requisitos legais e obrigações regulamentares estatuídas por órgãos governamentais, em face do desempenho das diversas atividades a que se propõe realizar;
  • Compromisso de lícita, eficiente e sustentável atuação, em plena harmonia com as mais rigorosas exigências de mercado, notadamente a de produção socialmente responsável;
  • Exercício ético das atividades empreendidas, observada a preservação dos valores ancestrais, em harmônico convívio com os contemporâneos arranjos sócio-produtivos praticados em todo o Brasil e no exterior;
  • Inalienável e proativa gestão territorial, inclusive sob o viés da proteção e recuperação ambiental, das fronteiras que integram a Terra Indígena 7 de Setembro;
  • Intercooperação e apoiamento às iniciativas produtivas das demais Comunidades Indígenas do Brasil e do Mundo;
  • Constituição de alianças estratégicas, quer seja com entes públicos, quer privados, no intuito de atrair os meios e mecanismos necesários à especialização técnica e tecnológica, tanto dos associados quanto dos meios de produção utilizados, a posibilitar contínua ampliação da capacidade produtiva;
  • Agregação de valores agroindustriais, com vista à crescente manufaturação da produção e profícua comercialização direta, sempre na busca de preços justos e relações econômicas estáveis, perante o mercado interno e externo.