Alianças Estratégicas

Para atender os seus objetivos e superar as diversas “Barreiras à Entrada”, como normalmente são conhecidas as dificuldades impostas à atuação de novos entes em determinadas áreas econômicas, a COOPAITER tem adotado como estratégia central de atuação a constituição de alianças estratégicas, quer seja com entes públicos, quer privados, no intuito de atrair os meios e mecanismos necessários à especialização técnica e tecnológica, tanto dos associados quanto dos meios de produção utilizados, a possibilitar contínua ampliação da capacidade produtiva.

Tais alianças, segundo a melhor estrutura jurídico-negocial aplicável, seja no Brasil ou no exterior, poderão ser estruturadas sob a forma de: Empresas Investidas; Contratos Empresariais; Termo de Fomento ou Termos de Cooperação Técnica; ou ainda sob a forma de simples Contrato de Parceria Interinstitucional.

Seja qual for o modelo, tais alianças estratégicas hão de ser sempre formalizadas e orientadas por especificidades de natureza técnica, em observancia aos criterios e requisitos legais e regulamentares eventualmente estatuídos pelos mais diversos órgãos governamentais, diretrizes previstas na Resolução Conjunta DIREX/CONAD nº 002, de 23 de janeiro de 2018.

Ainda na linha das diretrizes normativas relacionadas à política de investimentos adotada pela COOPAITER com vista ao fomento das atividades econômico-produtivas, agroindustriais e comerciais a que se propõe, deve-se ressaltar que a estratégia de crescimento das empresas derivadas ou investidas deverá estar essencialmente fundada em três pilares, cuja coexistência - por regra - há de ser conduzida de forma harmônica e respeitosa. São estes:

  • Manutenção das atividades tradicionais e da cultura indígena, fundadas na transmissão oral do saber, cuja difusão há de ser essencialmente resgatada e valorizada, inclusive sob o viés do desenvolvimento de cadeias de valor capazes de demonstrar a importância e viabilidade para utilização por parte das populações não indígenas;
  • Apropriação das mais avançadas técnicas produtivas, assim também de mecanismos tecnológicos e de automação, capazes de gerar maior eficiência às operações empreendidas, passíveis de monitoração ancorada na inclusão digital, a conceder dados, informações e indicadores de desempenho acerca dos resultados alcançados;
  • Desenvolvimento ambientalmente sustentável, sob o viés da proteção dos recursos naturais, da formação étnico - cultural do Povo Paiter, e – essencialmente – sob o prisma da defesa dos direitos relacionados à segurança alimentar, moradia, educação e assistência médico-supletiva de toda a Comunidade.

Ademais, constitui requisito fundamental à celebração de quaiquer alianças empresariais/institucionais eventualmente celebradas pela COOPAITER, a firme convicção das partes em torno da realização de negócios conduzidos sob os principios da ampla transparencia, moralidade e publicidade, aliados ao compromisso de lícita, eficiente e sustentável atuação, em plena harmonia com as mais rigorosas exigências de mercado, notadamente a de produção ética e socialmente responsável, notadamente sob a perscpectiva da autonomia e autodeterminação dos povos indígenas.